Notícias

Ministro Bruno Dantas, do TCU, participa de debate sobre os 5 anos do novo Código de Processo Civil

O ministro do TCU (Tribunal de Contas da União) Bruno Dantas e os advogados Teresa Arruda Alvim, Rogéria Dotti, Alexandre Freire, Luiz Henrique Volpe, Paulo Henrique Lucon e Cassio Scarpinella Bueno participam do debate "Cinco anos do CPC/2015: principais impactos no sistema de Justiça", nesta quinta (6), às 19h. O debate será mediado pelas advogadas Carolina Uzeda e Sofia Temer e coordenado pelo advogado Rodrigo Mudrovitsch e pelo desembargador Ney Bello. O encontro será transmitido pelo canal do YouTube do IDP.?O ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Marcelo Navarro Ri

Diálogos Abimed debate a “Importância Socioeconômica da Indústria de Equipamentos e Dispositivos Médicos sob a Ótica Parlamentar”

Qual a visão dos parlamentares sobre a importância da Industria de Equipamentos e Dispositivos Médicos? Qual sua contribuição socioeconômica? Essas e outras questões de relevância para o segmento serão debatidas no início de agosto. A Abimed – Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para a Saúde – realizará, na quinta-feira (6), mais um evento de Diálogos ABIMED, que visa a realização de palestras/debates acerca de temas relevantes para o setor, realizadas por pessoas estratégicas para compor as redes de relacionamento da Associação e das empresas associadas (docentes, pesqu

ABIMED patrocina o 9º Fórum Lide de Saúde e Bem-Estar

No dia 27 de julho, das 11h às 13h, acontecerá o 9º Fórum Lide de Saúde e Bem-Estar, evento que tem patrocínio da ABIMED - Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para Saúde. O tema será a Telemedicina, que autorizada em caráter de emergência, por conta do isolamento social, tem se mostrado eficaz. Os profissionais de saúde se adaptaram rapidamente e a solução aponta um caminho promissor para ampliar o acesso da população à saúde, au
ABIMED parabeniza Ministério da Saúde pelos 67 anos ABIMED

ABIMED parabeniza Ministério da Saúde pelos 67 anos

O Ministério da Saúde completa mais um ano de criação. A entidade chega aos 67 anos de trabalho

Vacina de Oxford para Covid-19 é segura e induz resposta imune, indicam resultados preliminares

Vacina teve o efeito esperado pelos pesquisadores nos primeiros estágios. Terceira fase dos testes está ocorrendo no Brasil. É provável que seja necessário tomar uma segunda dose da vacina.Cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, anunciaram nesta segunda-feira (20) que, de acordo com resultados preliminares, a vacina da universidade para a Covid-19 é segura e induziu resposta imune no corpo dos voluntários. Os resultados, que já eram esperados pelos pesquisadores, se referem às duas primeiras fases de testes da imunização. A terceira fase está ocorrendo no Brasil, entre outros países.O efeito deve ser reforçado após uma segunda dose da vacina, segundo os cientistas.Entenda a novidade anunciada:a vacina de Oxford é a mais adiantada, das que estão em pesquisa, segundo a OMS. Ela está sendo testada também no Brasiltestes iniciais, das fases 1 e 2, realizadas na Inglaterra, agora apontam que ela é segura e induz o corpo a reagir contra a Covid-19; o resultado é o esperadoo resultado não permite ainda concluir se de fato uma pessoa exposta ao Sars-Cov-2 fica imune com a vacinaa fase 3, final, ainda está em andamento e ela é que irá determinar se há eficácia num grande número de pessoasDe acordo com a Unifesp, o imunizante, se tudo der certo, poderá ter o registro liberado em junho de 2021nesta segunda também saiu o resultado preliminar de testes de uma vacina desenvolvida pela China e a chegada de uma carga de outra vacina chinesa a SPAs fases 1 e 2 dos testes, que foram conduzidas simultaneamente no Reino Unido, tiveram 1.077 voluntários. Os ensaios mostraram que a vacina foi capaz de induzir a resposta imune tanto por anticorpos como por células T até 56 dias depois da administração da dose."Exatamente o tipo de resposta imune que esperávamos", declarou Andrew Pollard, professor de pediatria na Universidade de Oxford.Os pesquisadores dividiram os participantes em dois grupos: 543 pessoas receberam a vacina experimental, e outras 534 receberam uma vacina de meningite (o grupo controle).A resposta imune foi medida em laboratório. São necessários mais testes para confirmar se a vacina protege efetivamente
Página 1 de 305)

Desenvolvido por MakeIT Informática