Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Custos de saúde devem atingir 5,4 trilhões de dólares em 10 anos

Publicado em 04/08/2015 • Notícias

Os valores divulgados pelo CMS apontam para que o aumento médio da despesa deva atenuar mas que seja superior ao crescimento do PIB

_x000D_

_x000D_

As despesas com a Saúde devem crescer a uma taxa anual média de 5,8% ao longo da próxima década, e, em 2024, devem atingir os 5,4 trilhões de dólares. Durante o mesmo período de tempo, o PIB é esperado para crescer a uma taxa média de 4,7%. Os valores foram divulgados pelo Centers for Medicare e Medicaid Services (CMS). 

As novas projeções foram publicadas no Health Affairs e traçam um cenário com duas vertentes bem distintas, no que diz respeito a gastos com saúde. A vertente positiva prevê elas devam crescer na próxima década a uma taxa mais lenta do que em diversos momentos no passado. A vertente negativa estima que, ainda assim, terão um crescimento médio superior ao do produto interno bruto.

O CMS diz que há uma série de fatores que afetam o crescimento das despesas nos próximos anos, incluindo o aumento da cobertura de seguro de saúde e dos subsídios ao abrigo do Obamacare, o envelhecimento da população e o crescimento econômico previsto. Os gastos com medicamentos de prescrição podem ser outro grande contribuinte. Em 2014, a sua subida foi de 12,6%, a maior taxa de crescimento desde 2002. Em comparação, o crescimento para medicamentos prescritos foi de apenas 2,5% em 2013. Uma das maiores razões para o crescimento dos gastos com medicamentos foi a estreia de novos tratamentos dispendiosos para hepatite C. Novos tratamentos para câncer e esclerose múltipla também tiveram contribuições de relevo. 

Apesar do aumento dos gastos com medicamentos de prescrição em 2014, o crescimento projetado para 2015 é de apenas 7,6% em 2015. “”O relatório é muito claro quando diz que o ano passado foi singular e foi impulsionado em parte pela expansão da cobertura de seguros de saúde e novas curas que estão disponíveis para os pacientes “”, disse Robert Zirkelbach, vice-presidente sênior de comunicações da PhRMA, ao Washington Post.

É importante notar que as perspectivas despesas de saúde não são ruins de todo. Embora as taxas de crescimento projetadas são mais elevados do que nos anos seguintes a recessão, eles são ainda mais baixos do que nas três décadas anteriores, quando as despesas de saúde estava crescendo a uma taxa média de 9% ao ano.

“”O crescimento da despesa total da saúde continua a ser modesta, mesmo à medida que mais americanos estão cobertos, muitos pela primeira vez””, disse Agindo Administrador do CMS, Andy Slavitt, em comunicado de imprensa. “”A despesa per-capita e inflação médica estão todos em níveis historicamente muito modestos.”” Mas, mesmo assim, Slavitt também disse que é importante que o setor de saúde não se torne complacente. “”A tarefa que todos nós temos pela frente é manter as pessoas saudáveis, enquanto gastamos de forma mais inteligente em todas as categorias de prestação de cuidados, para que possamos sustentar esses resultados.””

_x000D_

Fonte: Diagnóstico Web

Mais notícias e eventos