Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Fachin quer mais debate sobre ‘pílula do câncer’

Publicado em 28/10/2015 • Notícias

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Edson Fachin recomendou ao presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), Gustavo Fernandes, que o órgão debata com a comunidade científica os testes clínicos da fosfoetalonamina. Uma reunião entre os dois, na manhã de ontem, discutiu a fabricação e a distribuição de pílulas com a substância com suposta ação contra o câncer, cuja eficácia ainda não foi comprovada.
“Precisamos dialogar com a comunidade científica em temas controvertidos e multidisciplinares como esse”, afirmou Fachin. A intenção do ministro é de que os órgãos como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde, além da sociedade civil, cheguem a um consenso.A pílula vinha sendo produzida pela Universidade de São Paulo (USP) e distribuída mesmo sem ter passado por testes. A prática foi proibida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.
O impasse seguinte surgiu depois que o ministro do STF concedeu liminar autorizando a distribuição da substância a um paciente terminal. O presidente da SBOC se comprometeu a acionar a Anvisa e outros órgãos de saúde. “Do jeito que está não dá para ficar.” Incor. Já o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) informou que ofereceu apoio para a realização dos estudos clínicos da fosfoetanolamina sintética, mas não obteve resposta dos pesquisadores. “Nós temos uma estrutura para pesquisa que já está funcionando.
Mas não responderam”,diz Paulo Hoff, diretor-geral do Icesp.
Ele ressaltou que a proposta continua a existir. “Precisamos fazer a avaliação científica para ver se é ou não seguro.”

Fonte: O Estado de S.Paulo

Mais notícias e eventos