Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Máfia das próteses

Publicado em 24/08/2015 • Notícias

Para ampliar o alcance das inovações científicas é preciso mais transparência em todos os elos da cadeia de produção e uso de novas tecnologias, afirmou Aurimar José Pinto às jornalistas Cláudia Collucci e Iara Biderman na edição ao vivo da “”TV Folha”” dedicada ao especial “”Tecnologia e Acesso à Saúde””.

Diretor de Relações Institucionais da Abimed (Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para Saúde), Pinto sugere que representantes da indústria, do governo e dos setores de saúde pública e privada “”sentem-se à mesa”” juntos para diminuir os gargalos que aumentam o custo das novas tecnologias, tornando-as insustentáveis ao sistema de saúde –um problema que também afeta os países mais ricos.

Entre os gargalos específicos do Brasil, segundo o representante da Abimed, estão os entraves burocráticos e regulatórios.

A discussão com todos os setores envolvidos seria uma forma de resolver impasses que dificultam a entrada de novas tecnologias e evitar distorções como a que levaram ao esquema criminoso envolvendo médicos, fornecedores e indústria que ficou conhecido com “”máfia das próteses””, disse Pinto.

Para ele, a descoberta foi salutar para o setor porque “”ajudou a separar o joio do trigo””

_x000D_

 

_x000D_

Assista na íntegra:

_x000D_

http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/videocasts/2015/08/1673369-mafia-das-proteses-separou-o-joio-do-trigo-diz-representante-da-industria.shtml

_x000D_

 

Fonte: Folha de S.Paulo / site

Mais notícias e eventos