Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

ABIMED: BRASIL NÃO É COMPETITIVO EM PRODUTOS PARA SAÚDE

Publicado em 03/07/2013 • Notícias

“”Estudo encomendado à consultoria_x000D_
Websetorial mostra que exportações do setor cresceram abaixo da média mundial””

_x000D_

Embora_x000D_
ocupe a sétima posição no ranking das maiores economias do mundo, o Brasil é_x000D_
apenas o 36° exportador de produtos para a saúde. O setor possui baixa_x000D_
capacidade competitiva e os produtos – como instrumentos, aparelhos e_x000D_
equipamentos para diagnóstico e cirurgia – têm pequena penetração no mercado_x000D_
internacional.

_x000D_

Os_x000D_
resultados fazem parte de um estudo da consultoria Websetorial encomendado pela_x000D_
Abimed (Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Equipamentos,_x000D_
Produtos e Suprimentos Médico-Hospitalares). Os dados foram analisados a partir_x000D_
de levantamento realizado pelo Trademap (base de dados da ONU e da OMC) com 230_x000D_
países em 2011.

_x000D_

Segundo_x000D_
o estudo, a participação total do Brasil no comércio internacional é de apenas_x000D_
1,4%. Considerando-se apenas os produtos para a saúde, o índice cai para 0,19%._x000D_
“”Esse dado indica que a situação do País é precária, mas também que existe_x000D_
espaço para que as exportações e a competitividade do setor aumentem se forem_x000D_
adotadas políticas adequadas””, diz Carlos Goulart, presidente-executivo da_x000D_
Abimed.

_x000D_

Abaixo da média
_x000D_
As exportações brasileiras de produtos para a saúde cresceram menos da metade_x000D_
da média mundial registrada entre 2007 e 2011 (3% e 7%, respectivamente). A_x000D_
exceção ficou por conta dos aparelhos de raio X e de alguns equipamentos de_x000D_
diagnóstico que utilizam radiação, que superaram a marca global.

_x000D_

De_x000D_
modo geral, segundo o estudo, a balança comercial mundial de produtos para a_x000D_
saúde é deficitária. Entre os 230 países pesquisados, entre 5% e 10%,_x000D_
dependendo da categoria de produtos, apresentam balança comercial positiva.

_x000D_

Em relação às importações, o Brasil ocupa a 15ª posição no_x000D_
ranking mundial de produtos para a saúde, com participação de 1,77% no mercado_x000D_
global. As importações brasileiras de produtos para a saúde totalizaram US$ 5,3_x000D_
bilhões em 2011, enquanto a cifra mundial ficou em U$ 298 bilhões.

_x000D_

 

_x000D_

 

_x000D_

 

_x000D_

Fonte: SAÚDEWEB

Mais notícias e eventos