Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Além da internet: o plano do Google para curar doenças e estender a vida

Publicado em 18/08/2015 • Notícias

Ao anunciar a reorganização do Google como Alphabet, Larry Page explicou que a empresa foi criada por conta de negócios independentes, de diferentes áreas, destacando os esforços da gigante de tecnologia no ramo da medicina. “”Iniciativas que estão bastante distantes de nossos produtos principais da internet estão contidas na Alphabet, como a Calico e a Life Sciences””, explicou o CEO em um post.

Ao que tudo indica, o Google quer agora curar doenças e prolongar a vida humana. Mas será que a empresa conseguirá? Confira quais são os principais esforços neste sentido:

1. Revolução na medicinaCom a criação da Alphabet, a Life Sciences, que antes era uma divisão do Google X, passará a ser uma divisão independente, com o nome ainda não anunciado. O mercado pode ser uma das grandes apostas da companhia para o futuro. Em julho, o CFO Ruth Porat destacou o empreendimento como uma das “”fontes de receita a longo prazo””. Funcionários afirmam que a ideia é mudar a maneira como as pessoas cuidam de sua saúde, trazendo uma abordagem mais simples e rápida. “”Nossa tese central é que há claramente algo errado na medicina ocidental””, explica Andrew Conrad, diretor científico do LabCorp e um dos responsáveis pelos projetos do Life Science.

2. NanotecnologiaUma das propostas do Google é usar a tecnolgia para melhorar o diagnóstico de doenças e monitorar a saúde dos pacientes. Para isso, a empresa tem usado a nanotecnologia e se focado em duas etapas: parceria com universidades nas pesquisas e desenvolvimento de dispositivos domésticos, como sensores.

3. Atenção às doenças crônicas

A intenção do Google é desenvolver maneiras de diagnóstico e tratamento de doenças crônicas como o diabetes. No ano passado, a empresa desenvolveu lentes de contato inteligentes que usam as lágrimas dos olhos para medir os níveis de açúcar no sangue. O projeto foi bem recebido: pouco depois, a farmacêutica Novartis anunciou que iria licenciar a tecnologia. Há indícios também de que será lançado um medidor de glicose descartável, mais barato do que os que existem atualmente.

4. Genética
O Google também está mergulhando na área genômica. Recentemente, a companhia anunciou uma parceria com Ancestry para analisar o DNA e a árvore genealógica de pessoas cujos ancestrais são conhecidos por ter uma vida longa para descobrir se há algum fator que representa a herança de longevidade.

Em janeiro, Conrad anunciou também que a equipe pretende trabalhar em parceria com a farmacêutica Biogen para estudar fatores ambientais e biológicos que podem fazer com que a esclerose múltipla progrida.

5. EnvelhecimentoRetardar o envelhecimento é outra grande preocupação da companhia, que criou a Calico justamente com este propósito. Enquanto não é possível, o foco é melhorar o conforto de idosos. No ano passado, a gigante comprou a Lift Labs, empresa que desenvolveu uma colher projetada para ajudar pessoas com tremores neurodegenerativos a se alimentar.

Fonte: Olhar Digital

Mais notícias e eventos