Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Bons resultados estimulam a expansão das atividades

Publicado em 18/11/2015 • Notícias

Chegar à Colômbia e aos Estados Unidos. Esse é o plano, para 2016, da empresa Projeto Centro de Integração de Educação e Saúde (CIES), fundada em 2008, pelo médico Roberto Kikawa. Com mais de 200 colaboradores, oferece atendimento médico com a ajuda de 51 unidades móveis de saúde. Os serviços incluem consultas, exames e cirurgias.

“O atendimento é gratuito em ações sociais para pacientes encaminhados do Sistema Único de Saúde (SUS) e com preços populares em uma clínica do bairro de Vila Manchester, em São Paulo”, diz Kikawa. A receita da empresa vem de serviços prestados ao governo e empresas. Em pouco mais de sete anos, foram beneficiadas mais de 600 mil pessoas, em seis Estados, com uma receita de US$ 8,5 milhões em 2014. São realizados 34 mil exames ao mês e a expectativa até o fim do ano é atender mais de um milhão de pacientes.

“A parceria com a Prefeitura de São Paulo e a multiplicação de locais de atendimento fez o CIES ganhar impacto”, diz. “O empreendimento social deve ter um plano de negócios bem elaborado e parcerias intersetoriais. A participação em redes de ensino do empreendedorismo também ajuda.”

A Renovatio, criada por estudantes do Insper, optou por oferecer oportunidade de trabalho e estudo a pessoas em situação de vulnerabilidade social. Montou uma linha de produção de óculos de grau de baixo custo. Os produtos são pagos por apoiadores e doados à população. Mais de 1,4 mil usuários foram beneficiados desde 2013, segundo o fundador da empresa, Fábio Rodas Blanco.

“Já oferecemos oportunidade de estudo e renda para mais de dez pessoas entre moradores de rua e ex-detentos, que depois de qualificados foram para o mercado de trabalho. Hoje, quatro participantes trabalham na produção dos óculos, estudam e ganham cerca de R$ 1,4 mil ao mês.” A empresa atua em São Paulo, mas já fez doações no Pará e Bahia. Este ano, a previsão é entregar acima de três mil itens, iniciar as vendas dos produtos, por R$ 25 a unidade, e incluir mais quatro colaboradores na linha de produção. Recentemente, conseguiu um apoio de R$ 84 mil do Bank of America e fechou parceria com a loja on-line eÓtica, que vai criar uma plataforma para a venda das mercadorias em todo país. Em 2016, os planos incluem a criação de 60 pontos de venda no Rio e São Paulo.

Para Maurício Turra Ponte, coordenador do ESPM Social Business Centre, centro de negócios sociais da universidade, o empreendedor da área deve apresentar habilidades como capacidade de assumir riscos e de identificar novas oportunidades, além de saber mobilizar outros agentes que garantam a sobrevivência dos projetos.

Fonte: Valor Econômico

Mais notícias e eventos