Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Digitalização na medicina diagnóstica

Publicado em 05/12/2022 • Notícias

A importância de se preparar para as inovações

Os desafios impostos pela pandemia da Covid-19 acabaram sendo propulsores para a superação de muitos desafios no segmento da saúde. Um deles foi a digitalização de processos, que já vinha ocorrendo, mas assumiu um ritmo acelerado, trazendo benefícios para pacientes, médicos e gestores. Por exemplo, no  segmento de atendimentos virtuais, foram mais 7,5 milhões de consultas, entre 2021 e 2021, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Telemedicina e Saúde Digital. E o número segue crescendo, com aumento de 226% nas teleconsultas no primeiro semestre deste ano, segundo a Dasa, uma das maiores redes de medicina diagnóstica do País.

Desde as pequenas startups até as grandes empresas de saúde estão buscando estratégias para digitalizar os processos e otimizar a gestão, preparando-se adequadamente para as inovações que surgem a todo momento. Afinal, não restam mais dúvidas de que inovar é o caminho se uma empresa deseja alcançar um diferencial.

Na saúde, a inovação não deve ficar restrita à pesquisa e criação de novos remédios e vacinas. Os pacientes demandam novos serviços, pois têm um perfil cada vez mais digitalizado. Um estudo elaborado pela Doctaralia, maior plataforma de saúde do mundo, mostrou que os pacientes digitais são, na maioria, mulheres, entre 25 e 34 anos, residentes em grandes cidades, profissionalmente ativas e que procuram economizar tempo em suas atividades. Assim, um dos principais ganhos da digitalização de processos é justamente a otimização de tempo e esforços.

Por meio de plataformas e recursos tecnológicos, ações que antes demandavam trabalhos burocráticos, como marcação de consultas,  podem ser realizadas de forma automatizada. Dessa maneira, a equipe fica mais disponível para atuar de forma mais estratégica, aprimorando o atendimento ao paciente. A digitalização de processos ajuda também na coleta e organização de dados sobre o histórico de cada paciente.

Na etapa de preparo da empresa para as inovações, é importante focar na capacitação de todos os envolvidos no processo. Quando os colaboradores adquirem conhecimentos sobre as metodologias e ferramentas utilizadas no processo de inovação, o desempenho de cada um passa a melhorar. Por isso, todos devem entender a necessidade de se qualificar.

Para agregar as práticas inovadoras, as empresas precisam também investir na mudança de cultura, desapegando-se de antigas práticas que já não trazem resultados. É de suma importância que os funcionários estejam engajados. No início, é comum que alguns sejam resistentes às mudanças, mas com o decorrer do tempo e emprego de metodologia adequada, a mudança de mentalidade passar a ser algo natural.

Enfim, a transformação digital na saúde deverá continuar trazendo muitos ganhos e impondo novos desafios. Sai na frente quem se antecipar às tendências e se adaptar a elas de forma mais rápida, sejam as empresas, os médicos, profissionais da saúde e até os pacientes. Afinal, trata-se de um segmento que requer convergência de informação e que precisa ser cada vez mais rápido, preciso e acessível à população.

Mais notícias e eventos