Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Educação: um caminho para toda a vida

Publicado em 30/09/2022 • Notícias

Campus ABIMED apresenta primeiros cursos de extensão, a serem oferecidos na modalidade Ensino a Distância (EaD); parceria com Todos pela Educação aplicará recursos em escola pública

 

O estudo contínuo é necessário para profissionais de todas as áreas. E o universo da saúde, impactado de forma contínua por descobertas científicas e inovações tecnológicas, exige ainda mais atualização dos profissionais. Atenta a essa conjuntura, a ABIMED lançou o Campus ABIMED, iniciativa destinada a aprimorar a formação e a capacitação de profissionais e colaboradores de empresas associadas. O evento de lançamento, no dia 8, contou com palestras de Valdir Gomes Barbosa, do SENAI CIMATEC, Leandro Morilhas, da Morilhas Soluções Educacionais, e Rogério Monaco, do Todos Pela Educação.

 

A abertura do evento ficou por conta do presidente-executivo da ABIMED, Fernando Silveira Filho. Ele apresentou o conceito do Campus ABIMED e dividiu com o público um pouco da história da iniciativa. “Tudo começou em 2020, em plena pandemia, e por isso é uma alegria colocar esse projeto em lançamento”, afirmou. Segundo ele, o Campus ABIMED pode ser definido como uma iniciativa circular de fomento à educação. A primeira camada é composta pela educação dos associados, como uma universidade corporativa. Os cursos e formações, oferecidos de forma modular no primeiro momento, serão resultados de parcerias com instituições como o SENAI CIMATEC, voltado para a área de tecnologia, e a Leandro Morilhas Soluções Educacionais, dedicada à educação corporativa e gestão. “Serão cursos de diferentes naturezas, cobrindo questões como tecnologia e inovação. Estamos no modo piloto, com a grade estruturada para 2023, mas o desenvolvimento do Campus continuará, até chegar ao oferecimento da pós-graduação stricto sensu, com cursos de mestrado e doutorado”, adiantou.

 

O conceito de iniciativa circula se baseia no fato de que, além de se dedicar diretamente à educação continuada dos profissionais, a ABIMED também investirá na educação básica, por meio do Todos Pela Educação. “Trazemos com isso uma abordagem socialmente responsável, ajudando a corrigir desigualdades e aumentar as potencialidades do Brasil. Estamos mirando em um padrão mais elevado no ensino médio, de onde sairão os profissionais da saúde dos próximos anos”, explicou.

 

Revoluções e sala de aula  – Falando diretamente de Brasília, Valdir Gomes Barbosa foi responsável por apresentar o SENAI CIMATEC, localizado em Salvador (BA), e introduzir as primeiras formações do Campus ABIMED, ministradas por professores da instituição de ensino e pesquisa tecnológica. “Somos um centro universitário que trabalha no apoio à indústria em suas diversas facetas, e por isso a parceria com a ABIMED é salutar”, comemorou.

 

Os primeiros cursos oferecidos no Campus ABIMED serão de Avaliação dos Impactos Regulatórios no Ciclo de Vida do Produto Médico, Avaliação de Tecnologias em Saúde e Avaliações Econômicas em Saúde. Todos terão carga horária de 24 horas, com aulas remotas e síncronas ministradas no período noturno de segunda a sexta-feira e nos sábados pela manhã. São cursos piloto, na modalidade extensão, com emissão de certificado. Segundo o professor, é apenas o começo. “A partir da consulta aos associados ABIMED a respeito das necessidades de atualização e educação dos seus funcionários pretendemos formatar um curso de pós-graduação lato sensu, e depois, quem sabe, mestrado e doutorado. É o ponto inicial de uma ação conjunta e colaborativa”, afirmou.

 

A autonomia educacional foi centro da palestra de Leandro Morilhas, administrador, mestre e doutor em Administração pela Universidade de São Paulo (USP). Trabalhando há 15 anos com soluções educacionais para empresas, ele apresentou um panorama da quarta revolução industrial e como ela já está transformando o que entendemos por educação. “Essa revolução industrial é diferente, porque o motor dela é informação. Temos um mundo novo, da hiperconexão, da economia compartilhada, da integração de oferta e demanda e da customização. É nesse sentido que surge o Campus ABIMED”, sintetizou. Segundo o especialista, a jornada de uma economia de produtos para uma economia de serviços, baseada na conectividade, já impõe novas necessidades de ensino e aprendizagem. “Ensinar não pode ser padronizado. Cada pessoa tem suas particularidades, e cada segmento também. Haverá uma maior integração de conhecimento e negócios”, observou.

 

Ele também detalhou o funcionamento da parceria com a ABIMED, que irá sugerir quais cursos e temas podem ser explorados. “Não trabalhamos como uma faculdade, e sim em um ecossistema de escolas em Brasil, Portugal, Espanha e Estados Unidos. Vamos até o cliente, entendemos suas necessidades e criamos uma estratégia, com uma instituição de ensino credenciada no Ministério da Educação”, explicou. Nesse sistema, alunos têm mais protagonismo, autonomia e são incentivados a enxergar o estudo como uma tarefa de longo prazo. “Estamos na era do lifelong learn e do self learn. Educação não é linha de produção em série”, defendeu.

 

Olho no futuro – Cuidar dos profissionais de hoje e de amanhã. Se as parcerias com o SENAI CIMATEC e com a Leandro Morilhas Soluções Educacionais olham para o primeiro grupo, o segundo é o alvo da iniciativa Todos Pela Educação. Atuando desde 2005 na melhoria do ensino básico público, a instituição foi representada pelo seu gerente de Relações Institucionais, Rogério Monaco. A tarefa de fomentar e sustentar a excelência na escola pública parece distante para muitos, mas transformá-la não é só possível, mas também necessário.

 

“As crianças e jovens precisam aprender a aprender. A educação básica pode transformar o País, e nos preparar para as economias do futuro: verde, tecnológica e do cuidado, que inclui o setor da saúde”, disse Monaco. É nisso que acreditam os apoiadores do Todos Pela Educação, contou. “Somos um movimento mantido por doações da sociedade brasileira, e nossos especialistas produzem estudos, pesquisas e dados, que se tornam políticas públicas e ajudam a qualificar o debate sobre a educação no Brasil”, disse.

 

O convite para que empresas associadas à ABIMED juntem-se ao Todos Pela Educação uniu tanto informações alarmantes quanto esperança. “A educação regrediu a patamares de 20 anos atrás com a pandemia, e por isso precisa ser prioridade política. E para isso precisamos desfazer mitos sobre a educação pública, como a ideia de que é impossível oferecer qualidades para todos ou que o passado era muito melhor e não temos solução. A situação está mudando e melhorando, e boas políticas públicas transformam rápido e para valer”, disse, apoiado por uma série de dados. Para isso, no entanto, é preciso ter os olhos no futuro: a educação, lembrou ele, é um projeto de longo prazo, que afeta toda a sociedade.

 

Veja o evento na íntegra pelo Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=1AOz8rRpfRg

Mais notícias e eventos