Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Fundos Carlyle, GIC e CVC Partners preparam oferta pela Qualicorp

Publicado em 19/07/2016 • Notícias

Os fundos Carlyle, GIC (fundo soberano de Cingapura) e CVC Capital Partners estão em conversas com o fundador e presidente da Qualicorp, José Seripieri Junior, para uma possível oferta pública por 100% das ações da companhia, segundo o Valor apurou. A Qualicorp é uma companhia sem um controlador majoritário, com capital disperso na bolsa, mas Júnior é o maior acionista, com 20,2% do negócio.
Líder absoluta no segmento de planos médicos por adesão, a Qualicorp tem um valor de mercado de R$ 6 bilhões. Ainda segundo fontes, as conversas são preliminares, mas Junior já deixou claro que qualquer transação envolve um prêmio gordo.
O Carlyle e o GIC, que juntos detém 23,6% da Rede D’Or, querem fazer uma oferta em conjunto em nome do grupo hospitalar. Os dois fundos enxergam sinergias entre a maior rede hospitalar do país e a Qualicorp, que administra uma carteira com cerca de 5 milhões de usuários de convênios médicos. Caso a transação seja efetivada, a Rede D’Or poderá aumentar ainda mais seu poder de negociação com as operadoras e seguradoras de planos de saúde, sem assumir os riscos de ser dona de um convênio médico. A Qualicorp é uma corretora e administradora de planos de saúde. O negócio das operadoras tem um risco elevado, uma vez que os sinistros de saúde não são totalmente previsíveis. Além disso, os custos médicos estão cada vez maiores.
Apesar de o Carlyle e o GIG terem procurado a Qualicorp em nome da Rede D’Or, o desenho da participação societária do grupo hospitalar não está definido. A Rede D’Or pode ter uma fatia minoritária na Qualicorp ou uma participação indireta por meio dos fundos.
Após a investida do Carlyle e do GIC, o fundo americano CVC Capital Partners e um investidor estratégico também bateram na porta da Qualicorp.
Dono de uma fatia de 15,3% da Rede D’Or, o fundo soberano de Cingapura também é acionista da Qualicorp com uma participação de 5,13%. Um dos pontos que chamam atenção nessa transação é a presença de muitos interlocutores em comum. O Carlyle já foi um acionista relevante na Qualicorp e atualmente está na Rede D’Or. A unidade brasileira da CVC Partners, por sua vez, é liderada desde fevereiro por Fernando Pinto que, por muitos anos, esteve à frente do Carlyle. O atual presidente da Rede D’Or, Heráclito Brito, anteriormente era o principal executivo da Qualicorp.
Não está definido qual seria o papel de Junior numa eventual venda da companhia. Muitos acreditam que sua saída por completo da Qualicorp seria prejudicial porque ele conhece profundamente o setor e foi o criador do negócio de plano de saúde por adesão. O mercado dessa modalidade de convênio médico ainda é pouco compreendido.
Procuradas pela reportagem, Qualicorp, Rede D’Or e CVC Capital Partners informaram que não comentam rumores de mercado.
A Qualicorp começou a despertar interesse dos fundos após uma reestruturação iniciada no fim de 2015 e que, em pouco tempo, trouxe redução de despesas e custos e aumento no lucro. Neste ano, as ações acumulam ganhos de quase 65% devido aos bons resultados dos últimos trimestres.
A margem Ebitda da Qualicorp aumentou 1,9 ponto percentual, para 37,8% no primeiro trimestre de 2016. É uma variação relevante porque o setor de planos de saúde perdeu quase 2 milhões de usuários no último ano e meio, em razão do aumento no desemprego. Entre janeiro e março, o lucro líquido da empresa foi de R$ 198,3 milhões, ante R$ 44,7 milhões em igual período de 2015.

Fonte: Valor Econômico

Mais notícias e eventos