Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Logística complica envio de remédios, afirma ministério

Publicado em 10/08/2015 • Notícias

Em nota, o Ministério da Saúde diz que a aquisição de medicamentos para as aldeias onde atua o médico cubano Juan Delgado é feita pelo distrito sanitário indígena do Maranhão “”conforme o perfil epidemiológico da região”” e encaminhado ao polo base do município de Zé Doca.

“”É importante lembrar que o local é de difícil acesso, sendo necessário o deslocamento em pista de chão batido (em época de chuva, às vezes, é necessário fazer o percurso de barco pelo rio), o que dificulta a logística de distribuição de medicamentos””, completa nota da pasta.

Já exames e consultas com especialistas devem ser realizados no serviço do SUS mais próximo, habilitado a realizar o procedimento. As consultas e exames, segundo o ministério, são solicitados pelo polo base e costumam demorar no máximo 15 dias.

Hoje, 340 médicos do programa Mais Médicos atuam em distritos indígenas –são 34 ao todo.

Sobre os planos do profissional cubano de estender seu contrato no país, previsto inicialmente para acabar no ano que vem, a pasta diz que a possibilidade é prevista na lei do Mais Médicos.

“”O médico deverá manifestar o desejo de permanecer e será avaliada junto aos gestores do SUS nos municípios a qualidade do seu desempenho””, afirma o Ministério da Saúde.

Fonte: Folha de S.Paulo

Mais notícias e eventos