Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Rastreabilidade total de produtos OPME no Hospital Mãe de Deus

Publicado em 31/07/2014 • Notícias

O Hospital Mãe de Deus é a primeira instituição hospitalar no Sul do país a aplicar a rastreabilidade total de produtos OPME (Órtese, Prótese e Materiais Especiais). Respondendo a exigências da Agência Nacional de Saúde (ANS) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a iniciativa proporciona maior segurança no controle e gerenciamento destes materiais, que são utilizados em procedimentos cirúrgicos de alta complexidade. Concluído em junho de 2014, o processo de implementação ocorreu em dois anos.

Atualmente, todos os produtos desse grupo ingressam na instituição com registro e controle de lote, validade de utilização e validade de registro. Essas informações são repassadas a um banco de dados exclusivo, que permite um rigoroso controle sobre o material devidamente etiquetado. Sendo grande parte trazida do exterior, esses itens chegavam até então apenas com histórico desde seu importador no Brasil. Com a rastreabilidade total é possível, no entanto, levantar a procedência desde sua concepção, ou seja, o fabricante. “Assim, temos a certeza de estar oferecendo ao nosso paciente, de forma mais transparente, artigos que atendem a todas as normas internacionais de segurança e qualidade”, destaca a Enfermeira Analista de OPME do Hospital Mãe de Deus, Elisandra Liege Serdeira.

O controle absoluto sobre produtos OPME também oportuniza a implementação do chamado “Alarme de Tecno Vigilância”. Ao constatar problema em um cateter, por exemplo, o hospital pode comunicar o fato à Anvisa, que por sua vez irá gerar um alarme às instituições que possuem artigos do mesmo fabricante e modelo. “Desse modo, há condições de investigar se o problema é isolado, afetando apenas a unidade do produto em questão, ou se é de um lote inteiro, o que pode resultar em um recall. Isso é altamente importante para garantir o sucesso dos procedimentos em outros centros de saúde sem comprometer a vida de pacientes”.

A Lei de Rastreabilidade está em vigor desde abril de 2001 e sua aplicação ocorre de maneira gradativa, visto que o novo método de controle ocorre durante a aquisição de novos produtos para os estoques das instituições. Após enquadrar o HMD 100% na norma, a meta do Sistema de Saúde Mãe de Deus é concluir o processo em seus outros oito hospitais da rede no Rio Grade do Sul. 

Fonte: Imprensa Hospital Mãe de Deus

Mais notícias e eventos