Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Últimos a recuarem

Publicado em 04/01/2016 • Notícias

O número de remédios vendidos no acumulado deste ano até novembro cresceu 7,4% na comparação com o mesmo período de 2014.
Quando se considera o valor comercializado em reais (com o desconto concedido nas farmácias), a alta foi de 10,85%.
“Os medicamentos são um gênero de primeira necessidade.
Costumam ser os últimos a entrar em recessão, mas a situação já começou a se complicar”, afirma o presidente do Sindusfarma (sindicato dos laboratórios),Nelson Mussolini.
“Em 2016, não deveremos repetir o resultado. Projetamos um incremento nominal de 5%, no máximo, e uma queda no número de unidades vendidas.” Em novembro, os laboratórios sentiram uma retração nos negócios na comparação com outubro. Em unidades, o recuo foi de 3,6%. Em reais, ficou em -3,17%.
“Os custos de produção subiram de uma forma assustadora e a situação do caixa das empresas está se deteriorando.
Elas terão de mexer nos empregos ou nos investimentos”, acrescenta o executivo.

Fonte: Folha de S.Paulo

Mais notícias e eventos