Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao prosseguir você concorda com nossa política de privacidade.

Mercado Aberto: Margens se estreitam, mas setor farmacêutico tem fôlego para crescer

Publicado em 04/01/2016 • Notícias

Apesar de ter passado por forte expansão nos últimos anos, o setor farmacêutico ainda tem fôlego para crescer e se manter como um dos mais promissores, segundo Paula Yamaguti, economista do Itaú Unibanco.
Para Ymaguti, é provável a persistência dos fatores favoráveis que têm impulsionado a expansão do setor: o aumento da renda, o envelhecimento da população e o maior consumo de medicamentos genéricos.
“Apesar do panorama positivo, o setor deve ficar atento à queda nas margens, pressionadas pela forte concorrência, principalmente no segmento dos genéricos, e pelo aumento de custos,decorrente tanto do encarecimento da mão de obra como dos insumos”, ressalva Yamaguti.
O setor de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos é o terceiro no mundo em volume de vendas, atrás apenas de China e Estados Unidos.
Embora tenha crescido graças ao aumento da renda, ao barateamento dos produtos e à crescente participação feminina no mercado de trabalho, o gasto do brasileiro no segmento já é muito superior ao de países como mesmo nível de renda.
“Isso indica que há menos espaço para expansão nos próximos anos.” Uma medida positiva para essa indústria seria o aumento das exportações—abalança comercial do segmento é muito deficitária.
Grande parte dos insumos farmo químicos e medicamentos é importada e a demanda ainda é basicamente interna, lembra a economista.

Fonte: Folha de S.Paulo

Mais notícias e eventos